390 visualizações |0 comentários
banner-realese-cuidados-1280x1100-17062021


Diminuição da atividade física nos meses mais frios por si só aumenta a chance de problemas circulatórios em pessoas com fatores de risco e comorbidades

O cuidado com a saúde vascular é sempre necessário, mas é preciso redobrar as atenções no período de inverno. A piora dos quadros vasculares com a diminuição da temperatura é uma constatação demonstrada em muitos estudos na literatura médica, com aumento nas hospitalizações e na mortalidade cardiovascular, principalmente no pico da estação.

De acordo com o membro titular da SBACV, professor Dr. Marco Aurélio Grudtner, nesta época do ano é mais frequente os pacientes apresentarem sintomas como dor ou o surgimento de feridas nos pés que não cicatrizam. Ele esclarece também que a enfermidade vascular mais suscetível ao frio é a doença arterial obstrutiva periférica, causada pela deposição de gordura na parede interna das artérias dos membros inferiores, com formação de placas de ateroma, que pode ser agravada pelas baixas temperaturas da estação.

A dor nas pernas é um dos principais sintomas que pode ter como causa o comprometimento da circulação pela doença vascular, sobretudo aquela dor que ocorre quando a pessoa caminha e que alivia com o repouso. Por outro lado, a dor constante nos pés ou nos dedos, mesmo quando a pessoa está parada, pode ser um sinal de doença circulatória grave com risco de perda da extremidade se não tratada adequadamente.

Para aqueles que moram em lugares mais gélidos, a associação entre as doenças cardiovasculares e alterações do clima é um fenômeno conhecido, mas extremamente complexo, pois envolve tanto questões ambientais (mudanças de temperatura e poluição do ar), quanto respostas fisiológicas e comportamentais do indivíduo.

A diminuição da atividade física nos meses mais frios por si só aumenta a chance de problemas circulatórios em pessoas com fatores de risco e comorbidades. A resposta termoregulatória ao frio causa vasoconstrição periférica pela ativação do sistema nervoso simpático, com aumento da frequência cardíaca e da pressão arterial, possível ativação plaquetária e aumento de marcadores inflamatórios, com efeitos adversos aos pacientes com doença cardiovascular estabelecida ou subclínica.

A prevenção sempre é o melhor remédio. Os fatores de risco para as doenças vasculares são muito conhecidos; portanto, é importante evitar o tabagismo, manter o peso ideal, ter uma dieta equilibrada e controlar as doenças crônicas preexistentes, como a hipertensão arterial, o diabetes e as alterações do colesterol. “A atividade física regular precisa ser estabelecida como um hábito, pois é saudável e melhora nossa qualidade de vida”, afirma Dr. Grudtner.

 

A SBACV

A Sociedade Brasileira de Angiologia e de Cirurgia Vascular (SBACV) é uma associação sem fins lucrativos, que visa a defender os direitos de seus profissionais, médicos e residentes, especialistas em saúde vascular. Além disso, tem como objetivo incentivá-los à produção científica, aprofundando as pesquisas nas áreas de Angiologia, Cirurgia Vascular e Endovascular, Angiorradiologia e outras modalidades.

A entidade trabalha com uma política alinhada aos valores da AMB (Associação Médica Brasileira) e do CFM (Conselho Federal de Medicina) a fim de conduzir a instituição de maneira ética, sempre valorizando as especialidades médicas em questão. Atualmente, conta com 23 associações regionais espalhadas por todo o Brasil.

 

Informações à Imprensa – Way Comunicações
Bete Faria Nicastro
Telefones: (11) 3862-1586 / 3862-0483
E-mail: bete@waycomunicacoes.com.br

Elenice Cóstola
Whatsapp: (19) 99601-5900
E-mail: elenicecostola@waycomunicacoes.com.br

Compartilhar

Publicar comentário

Ir para o Topo